Av. Professor Alfonso Bovero, 1057 - cj 122 - Pompeia - São Paulo - SP - 05019-011

Transtorno de Estresse pós traumático (TEPT)

13.jpeg
Refere-se ao desenvolvimento de alguns sintomas (predominantemente, na maioria dos casos, o medo de reviver o trauma) após exposição à situações de vida traumáticas que colocam a integridade física e/ou psicológica em risco, incluindo ameaça ou agressão física, assalto, abuso sexual, acidentes, desastres naturais (ex. terremotos), diagnóstico de doença fatal, morte de pessoas significativas, eventos catastróficos (ex. choque anafilático), eventos testemunhados (quando é assistido e não diretamente com a pessoa), guerra, violência doméstica, tortura, etc.
35.jpeg

Sintomas

Alguns sintomas que podem ocorrer, não sendo necessário que TODOS estejam presentes: Lembranças recorrentes sobre o trauma (intrusivas e involuntárias) acompanhadas de componentes comportamentais (sensoriais, emocionais ou fisiológicos), sonhos repetitivos com imagens acerca do ocorrido (pesadelos), angústia, evitação à estímulos que “lembrem” o trauma, medo, raiva, culpa, vergonha, isolamento social, dificuldade em sentir emoções positivas, irritabilidade, agressividade, pouca tolerância à frustração, comportamentos auto-destrutivos (ex. passar a fazer uso de álcool ou outras drogas, auto mutilação, etc), comportamento suicida, reação negativa à estímulos inesperados (sobressalto, tensão, nervosismo), dificuldade na concentração, preocupação excessiva com a própria segurança e de terceiros, distúrbios do sono.

Pode ocorrer estado “dissociativo”, onde a pessoa se comporta como se o evento traumático passado estivesse ocorrendo naquele momento,

O Transtorno de Estresse Pós Traumático pode ocorrer em qualquer idade. Em crianças de 6 anos ou menos, os eventos traumáticos incluem, comumente:

- Vivenciar o trauma pessoalmente
- Saber que o evento traumático ocorreu com um de seus genitores
- Presenciar o evento traumático, principalmente quando com cuidadores

Os sintomas são: lembranças angustiantes do trauma, encenações por intermédio de brincadeiras, sonhos relacionados ao trauma, sofrimento emocional intenso diante de situações que “lembrem” as circunstâncias ligadas ao evento traumático, reações dissociativas (comportar-se como se a situação traumática passada estivesse acontecendo naquele momento), evitação de algumas situações, reações fisiológicas (por ex. dor de barriga, vômitos, choro, etc).  

Os sintomas do Transtorno de Estresse Pós Traumático, podem ocorrer imediatamente após o evento traumático OU até 6 meses depois. Os mesmos trazem “imobilização” diante da vida, prejuízos emocionais importantes, distorções cognitivas, isolamento social. O risco de desenvolver outros quadros psicopatológicos (como conseqüência) como DEPRESSÃO, por exemplo, são significativos na ausência de TRATAMENTO.

IMPORTANTE: Há uma considerável associação de ideação suicida com incidência de evento traumático na INFÂNCIA quando este se refere à abuso sexual, emocional ou físico.

Tratamento

Psicoterapia: A Psicoterapia Cognitivo – Comportamental, atua diretamente nos padrões de pensamentos que costumam se “instalar” após o evento traumático, se utilizando de técnicas específicas que visam a Reestruturação cognitiva. O apoio psicológico nesses casos que inclui: acolhimento, escuta terapêutica, organização dos pensamentos e projetos futuros de vida, se faz necessário para que haja melhora do quadro clínico.

Psiquiatria: Há a demanda de medicação para alívio dos sintomas, uma vez que trazem sofrimento psicológico significativo, incapacitando o indivíduo a manter sua vida “normal”. Providências imediatas, portanto, precisam ser tomadas. Os psicofármacos em conjunto com psicoterapia trazem alívio ou até mesmo remissão dos sintomas apresentados.